Alzheimer: Sintomas, Causas, Prevenção e Tratamento (SAIBA AQUI!)

Olá, aqui é o Dr. Rocha falando e hoje iremos falar sobre uma doença que preocupa muitas pessoas e acomete principalmente os que possuem idade mais avançada: o mal de Alzheimer.

O que é Alzheimer?O que é Alzheimer?

O Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que provoca um declínio das funções cognitivas do paciente, reduzindo assim, suas capacidades de trabalho, relação social e interferindo de maneira direta no comportamento e na personalidade do portador.

 Também conhecido como demência, ou demência senil, essa doença faz com que o paciente comece a perder toda a sua memória recente. Os portadores de Alzheimer podem até lembrar acontecimentos de anos atrás com muita precisão, mas sequer podem lembrar o que acabou de almoçar.

A evolução da doença causa grande impacto no cotidiano da pessoa, afeta a capacidade de aprendizado, atenção, orientação, compreensão e linguagem, o que faz com que o paciente se torne cada vez mais dependente da ajuda de terceiros até mesmo para as rotinas mais básicas, como alimentação e higiene pessoal, por exemplo.

No Brasil cerca de 15 milhões de pessoas com mais de 60 anos de idade são portadores da doença de Alzheimer. Nos EUA, o mal de Alzheimer é a quarta principal causa de mortes em idosos com mais de 75 anos, perdendo apenas para infarto, AVC e câncer.

Sintomas de Alzheimer

Você pode me perguntar: Dr. Rocha, quais são os sintomas de Alzheimer?

Algo fundamental para ser levado em conta sobre o Alzheimer é a manutenção do que médicos chamam de estado de alerta. A doença não reduz o estado de consciência, ou seja, o paciente responde tanto a estímulos internos ou externos.

Os pacientes portadores da doença sempre irão responder aos questionamentos que forem feitos a eles, seja de maneira correta ou errônea. Os sintomas de Alzheimer mais comuns são:

  • Perda de memória recente;
  • Distúrbios de comportamentos – normalmente o paciente se torna triste e/ou agressivo;
  • Olhar longínquo e totalmente desfocado;
  • Desinteresse por assuntos do cotidiano;
  • Conversas sobre temas que ocorreram em um passado distante.

Gosto de ressaltar que mesmo possuindo uma aparência saudável, os portadores do mal de Alzheimer precisam de supervisão 24 horas por dia. O quadro da doença evolui, por um período entre cinco e dez anos desde o momento de instalação da doença.

Causas

Embora a medicina seja um tanto quanto avançada, ainda não se conhece exatamente quais são as causas da doença de Alzheimer. A única coisa que os médicos sabem é que a doença se desenvolve como resultado de uma série de eventos complexos que ocorrem no interior do cérebro, além disso, a idade é tida como o maior fator de risco para desenvolvimento da doença, quanto mais idade uma pessoa tiver, maior será o risco de desenvolver Alzheimer.

Sabe-se também que pessoas que tivera episódios de AVC e/ou possuem diabetes também são um grupo de risco para desenvolver Alzheimer com o passar dos anos. Mais adiante falarei sobre esta relação.

Relação com a DiabetesRelação com a Diabetes

Um estudo que utilizou ratos como cobaias, realizado pelo NIH, nos EUA demonstrou que o Alzheimer pode ter uma íntima relação com o desenvolvimento do diabetes.

O estudo demonstrou que os ratinhos com doença de Alzheimer possuíam resistência à insulina – algo que ocorre no diabetes. O local de estudo foi o hipotálamo dos roedores, região do cérebro que regula o metabolismo de nutrientes como ácidos graxos, glicose e aminoácidos em tecidos como músculo, fígado e tecido adiposo.

A doença de Alzheimer afeta a sinalização da insulina no hipotálamo, desregulando assim o metabolismo do portador da doença, aumentando o risco de desenvolvimento do diabetes.

“Este é o primeiro estudo a demonstrar que o Alzheimer aumenta a suscetibilidade à diabetes devido ao comprometimento da sinalização de insulina” afirmou o neurologista condutor do estudo, Christoph Buettner.

Estudos já têm relacionado o Alzheimer a um tipo de diabetes, o tipo 3. Esta ideia circula desde 2005 e afirma que há uma conexão entre a má alimentação e o surgimento deste mal.

Prevenção e Tratamento

Renomados neurologistas acreditam que manter a cabeça ativa, além de uma boa vida social permite, ao menos retardar o surgimento da doença.

Entre as atividades recomendadas para manter a cabeça pensante e em perfeito estado de funcionamento estão: Exercícios aritméticos, jogos inteligentes, leitura constante, aprendizagem de uma nova atividade – como um novo idioma, ou aulas de pintura, por exemplo e principalmente participação em atividades de grupo.

E como sempre afirmo em minhas publicações uma alimentação inteligente é capaz de retardar o surgimento e trazer mais qualidade de vida aos pacientes que são portadores dessa doença.

Alimentos ricos em gorduras boas como ômega 3 atuam como anti-inflamatórios que ajudam a preservar a integridade do sistema nervoso, por isso ingerir alimentos como salmão, azeite extra virgem e ovos que são fontes desse tipo de gordura é algo primordial para prevenir que a doença surja, ou então trazer mais qualidade de vida aos pacientes.

Vegetais verdes folhosos também são ótimas opções de alimentos para os portadores da doença, entre os principais é possível citar o brócolis, agrião, rúcula, espinafre, couve e repolho. Todos esses vegetais são extremamente ricos em vitaminas e minerais que atuam como antioxidantes que regulam e auxiliam no bom funcionamento do sistema nervoso, adiando o surgimento e amenização da patologia.

Ingerir alimentos que possuem grandes quantidades de proteínas também é algo muito importante para os pacientes que possuem mal de Alzheimer, uma vez que a prática de atividades físicas por esse paciente torna-se mais difícil, o que facilita a perda de massa magra. Portanto, incluir alimentos como ovos, carnes, leite e iogurtes na dieta desses pacientes é fundamental para boa saúde.

Alimentos ricos em carboidratos feitos com farinhas brancas e amido devem ser desestimulados, uma vez que possuem alto índice glicêmico, aumentam a resistência à insulina e podem culminar no surgimento do diabetes. Como estudos já demonstraram a relação entre o Alzheimer e diabetes é importante evitar alimentos que favoreçam a elevação do nível de glicose no sangue.

Por isso, afirmo que escolhas alimentares inteligentes devem ser constantes na vida de todos.

Eu vou ficando por aqui.

Me despeço de você desejando muita saúde e felicidade.

Gostou do nosso texto? Curta, compartilhe e também comente.

Forte abraço e até a próxima.

 

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1.340 votes, average: 4,80 out of 5)
Loading...

Posts Relacionados

Comentarios

E ai gostou? Deixe aqui seu comentário