Lúpus → Você Realmente Sabe do Que se trata? Descubra Aqui!

Olá, aqui é o Dr. Rocha. No artigo de hoje irei falar sobre o Lúpus, uma doença bastante conhecida e que pode ser chamada por uma série de nomenclaturas. Boa leitura.

O Que é

O Lúpus, assim como o diabetes tipo I, é uma doença autoimune.Isso quer dizer que ela ocorre pelo simples fato do sistema imunológico do paciente começar a atacar o próprio corpo, causando uma série de problemas como manchas avermelhadas na pele, artrite e até mesmo o surgimento de feridas no nariz e na boca.

 

A doença pode se manifestar em qualquer fase da vida, mas dados epidemiológicos mostram que é mais diagnosticado em pacientes que estão na faixa etária entre 20 e 35 anos. Esse problema de saúde é muito mais comum em mulheres do que em homens.

Existem 3 tipos diferentes

Embora muita gente não saiba, existem três formas diferentes de Lúpus, são eles:

  • Lúpus discoide;
  • Lúpus Sistêmico;
  • Lúpus causado pelo uso de medicamentos.

A seguir falarei de modo individual sobre cada um deles:

Lúpus discoideLúpus discoide

Nesse tipo da doença ocorre um tipo de inflamação apenas na pele! Esse tipo de doença é facilmente identificado a partir do surgimento de uma série de lesões avermelhadas que tendem a aparecer no rosto, couro cabeludo e também na nuca.

Lúpus Sistêmico

Esse tipo da doença também conhecido como Lúpus Eritematoso Sistêmico – LES. Nessa forma da doença a inflamação geralmente ocorre de modo interno no organismo, podendo causar comprometimento de vários órgãos ou sistemas corporais.Ou seja, não é uma patologia restrita da pele.

Normalmente, os sintomas causados por esse tipo da doença variam dependem do local de inflamação. Entre os órgãos mais afetados estão: coração, pulmões e principalmente os rins. Sangue e articulações também podem ser afetados.

Lúpus causado pelo uso de medicamentos

Neste caso, é causado por medicamento é uma inflamação temporária na pele, que surge devido ao uso de determinados fármacos. Embora apresente sintomas semelhantes aos dois tipos anteriores, essa forma da doença desaparece assim que se deixa de utilizar os medicamentos.

Principais Sintomas do Lúpus

Sempre que falo sobre determinada doença ou problema de saúde minhas alunas sempre ficam curiosas acerca dos sintomas.Dessa vez fui questionado da seguinte forma: Dr. Rocha, quais são os principais sintomas do Lúpus?

Eu respondo que os sintomas podem surgir de uma hora para outra ou então se desenvolver de modo lento. Eles podem ser graves, moderados, temporários ou até mesmo permanentes.

A maioria dos pacientes acometidos pela doença apresenta sintomas moderados que surgem de maneira esporádica durante crises que podem se agravar por um tempo e logo depois são amenizadas.

Além disso, os sintomas tendem a variar de acordo com o tipo de Lúpus e as partes do corpo que são afetados pela doença. Os sintomas mais comuns incluem:

  • Cansaço extremo;
  • Febre;
  • Dores articulares;
  • Rigidez muscular acompanhado de inchaços;
  • Vermelhidão na face em forma de borboleta sobre as bochechas e na ponta do nariz, piorando com a exposição solar;
  • Lesões na pele que surgem ou pioram sobre a incidência de luz solar;
  • Dificuldades para respirar;
  • Dores no peito ao inspirar profundamente;
  • Dores de cabeça;
  • Inchaço de linfonodos;
  • Sensibilidade à luz solar;
  • Queda de cabelo;
  • Feridas na boca e no nariz;
  • Desconforto generalizado;
  • Ansiedade;

Diagnóstico

É relativamente difícil realizar o diagnóstico de Lúpus, pois os sintomas podem ser confundidos com o de outras doenças e variam muito entre os pacientes acometidos.

Por isso, a realização de exames físicos no consultório médico e principalmente a realização de exames laboratoriais como: hemograma completo, exames de anticorpos nucleares, exame de urina, biópsia renal e até mesmo radiografia do tórax são de grande importância para o diagnóstico correto da doença.

 

Tratamento

tratamentoPor ser uma doença autoimune, o Lúpus pode ser tratado, mas não curado. Isso acontece com outras doenças autoimunes. O principal objetivo do tratamento é controlar os sintomas e trazer qualidade de vida para as pessoas diagnosticadas com a doença.

A forma mais branda da doença pode ser tratada com medicamentos anti-inflamatórios, protetor solar e corticoides de uso tópico.

Já para o tipo mais grave da doença pode trazer ao paciente perigo de morte, anemias, alterações cardíacas, renais, pulmonares e de sistema nervoso central.Esses problemas são normalmente tratadas/controladas com corticoides imunossupressores que reduzem a resposta do sistema imunológico do paciente e drogas citotóxicas que bloqueiam o crescimento celular.

Esses medicamentos podem trazer uma série de efeitos colaterais graves. Por isso, o monitoramento frequente deve ser respeitado.

Alimentação Estratégica é grande aliada do paciente 

Como normalmente eu digo, os alimentos podem ser muito importantes em uma série de doenças e problemas de saúde.

Por ser uma doença autoimune e inflamatória, alimentar-se de maneira estratégica proporciona aos pacientes um estacionamento e controle da doença. Mostrarei a seguir alguns alimentos que devem fazer parte do dia a dia de quem possui este diagnóstico.

Alimentos fontes de gordura boa

As gorduras de qualidade, como o ômega 3, atuam como substância anti-inflamatória natural. Por isso, ingerir salmão, arenque, abacate, manteiga, ovo e principalmente azeite de oliva, são ótimas pedidas para os pacientes diagnosticados com a doença.

Antocianinas também são de grande ajuda

Muitos são os alimentos ricos em antocianinas e considerados antioxidantes. Chá verde, alho, cebola, tomate uva e também mirtilo são exemplos de alimentos antioxidantes e anti-inflamatórios naturais.

Vitamina C

A vitamina C é considerada por muitos médicos, e eu me incluo nisso, como um anti-inflamatório natural e restaurador de nossa saúde. Ingerir alimentos ricos nessa vitamina, como maracujá, acerola e limão também auxiliam no controle da doença.

brócolisVegetais verdes escuros

Os vegetais verdes escuros são repletos de vitaminas e minerais que potencializam o funcionamento do nosso organismo. Por isso, couve-flor, couve, espinafre, brócolis, repolho, acelga e demais vegetais devem estar presentes na alimentação diária de quem foi diagnosticado.

Evite os carboidratos

Os carboidratos colaboram para aumento da glicemia sanguínea, aumentando a liberação de insulina que consequentemente culmina em aumento de gordura corporal que ajuda na inflamação sistêmica do organismo, algo totalmente maléfico para quem possui Lúpus.

Portanto, alimentos ricos em carboidratos devem ser evitados por quem foi diagnosticado com a doença.

Se você achou complicado entender tudo isso ou quer saber ainda mais sobre prevenção de doenças através da alimentação eu tenho uma boa notícia.

Você pode participar de um treinamento gratuito que eu reparei para você e descobrir os maiores segredos da alimentação que estão adoecendo você. Clique aqui para participar.

 

Ao nos alimentarmos de maneira estratégica, quem mais ganha é a nossa saúde.

Eu vou ficando por aqui!

Gostou do artigo sobre Lúpus? Deixe seu comentário, compartilhe em suas redes sociais.

Me despeço desejando saúde, paz, felicidade e sorte.

Forte abraço e até a próxima.

Dr. Rocha

Posts Relacionados

Comentarios

  1. Jonaci

    Obrigada pela matéria

    • suporte@drrocha.com.br

      Que bom que gostou!
      Equipe Dr. Rocha.

  2. Célia Regina

    Muito triste.

    • suporte@drrocha.com.br

      🙁
      Equipe Dr. Rocha.

  3. sonia

    Vamos então prevenir com a alimentação

    • suporte@drrocha.com.br

      😉
      Equipe Dr. Rocha.

  4. Celsio

    Dr isso é bem sério

    • suporte@drrocha.com.br

      🙁
      Equipe Dr. Rocha.

  5. Elisangela

    Parabéns, muito bem escrito.

    • suporte@drrocha.com.br

      Obrigado!
      Equipe Dr. Rocha.

  6. Miriã

    Ótimas informações. Gostei muito

    • suporte@drrocha.com.br

      Que ótimo!
      Equipe Dr. Rocha.

  7. Roberto

    Dr isso é contagioso?

    • suporte@drrocha.com.br

      Não.
      Equipe Dr. Rocha.

  8. Lauro

    Tenho muita dor no peito, isso é normal?

    • suporte@drrocha.com.br

      Não é normal. Recomendamos que procure um médico presencial.
      Equipe Dr. Rocha.

  9. Heloisa

    Essa doença pode ser controlada?

    • suporte@drrocha.com.br

      Sim. Para entender melhor, leia o artigo acima. 😉
      Equipe Dr. Rocha.

  10. Gilvane

    Dr como posso falar com o suporte?

E ai gostou? Deixe aqui seu comentário