Mal de Parkinson → Saiba Como Evitar ou Tratar Este Mal!

Olá, aqui é o Dr. Rocha e hoje irei falar sobre uma doença que infelizmente é muito comum em pessoas com idades avançadas e bastante conhecida pelas pessoas devido aos tremores frequentes que os pacientes normalmente apresentam. Estou falando do Mal de Parkinson.

O Que É

O Que ÉO mal de Parkinson é uma doença progressiva do sistema neurológico que afeta de modo principal o cérebro do paciente.

Esse problema de saúde, infelizmente é um dos principais distúrbios nervosos apresentados na terceira idade, e se caracteriza principalmente, por prejudicar a coordenação motora, além de provocar uma série de tremores que trazem dificuldades para que o paciente se movimente.

Causas

As células nervosas do organismo utilizam uma substância química presente no cérebro que recebe o nome de dopamina. Essa substância é responsável por controlar todo e qualquer tipo de movimento muscular.

O mal de Parkinson acontece quando as células nervosas do cérebro que produzem a dopamina são destruídas de maneira lenta e progressiva.

Com a ausência dessa dopamina, as células nervosas de determinadas regiões do cérebro deixam de se comunicar de maneira correta. Isso leva a perda da função muscular, algo que infelizmente só piora com o passar do tempo.

A causa exata e correta do desgaste dessas células do cérebro ainda é desconhecida, porém a comunidade médica acredita piamente que uma mistura de dois fatores possa estar envolvida com o surgimento da doença. São eles:

  • Genética;
  • Meio ambiente.

Genética

Neurologistas acreditam que uma série de mutações genéticas altamente específicas está envolvida nas causas dessa doença, porém, esses casos são relativamente raros e acontecem geralmente com membros da família afetados pelo mal de Parkinson.

Meio ambiente

Sabe-se que a exposição a determinadas toxinas, fatores ambientais e até mesmo determinados alimentos tem o poder de potencializar o risco da doença no futuro, porém, ainda não se sabe com exatidão qual é a parcela de culpa do meio ambiente envolvido no surgimento do distúrbio.

Sintomas

Algo muito comum em minhas abordagens sobre doenças é que minhas alunas sempre me questionam sobre os sintomas particulares de cada distúrbio de saúde que apresento por aqui, e dessa vez a história se repetiu.

Felizmente os sintomas da doença são relativamente clássicos, algo que automaticamente aumenta as chances de diagnóstico e consequentemente acelera o processo de tratamento.

Diferente do que muita gente sabe, o mal de Parkinson pode afetar apenas um, ou então ambos os lados do corpo do paciente. Além disso, o grau de perda de funções causada pela doença pode variar dependendo do caso.

Há uma série de sintomas que variam de acordo com o grau de desenvolvimento da doença, a seguir mostrarei quais são eles.

Os sintomas iniciais costumam ser leves no início e incluem:

  • Leves tremores;
  • Lentidão para realização de movimentos simples;
  • Rigidez muscular excessiva.

Conforme o quadro do paciente evolui, os sintomas se tornam um tanto quanto significativos e difíceis de serem ignorados, são eles:

  • Constante inclinação do corpo para frente;
  • Passos mais curtos;
  • Redução dos movimentos dos braços ao andar.

Conforme a doença avança, outros sintomas motores normalmente surgem:

  • Diminuição ou desparecimento de movimentos automáticos, como piscar, por exemplo;
  • Tendência a babar;
  • Dificuldades para engolir os alimentos;
  • Falta de expressão no rosto;
  • Fortes dores musculares;
  • Dificuldade para começar ou então dar continuidade a determinado movimento – como andar ou então se sentar;
  • Perda de movimentos finos, como escrever, ou então trazer o alimento até a boca.
  • Tremores que desparecem durante o movimento;
  • Intestino preço e prisão de ventre;
  • Diminuição do volume vocal, a voz se torna mais baixa e monótona;
  • Ansiedade, estresse e tensão;
  • Confusão mental;
  • Demência;
  • Quadros de depressão;
  • Desmaios;
  • Perda de memória.

Tratamento

Infelizmente não há cura conhecida para o mal de Parkinson. O objetivo principal do tratamento é controlar os sintomas e oferecer o máximo de qualidade de vida para o paciente. Dessa forma, os possíveis tratamentos para a doença são a utilização de medicamentos ou até mesmo a realização de determinada cirurgia.

Medicamentos

Os medicamentos basicamente auxiliam o paciente a continuar a realizar tarefas diárias, como caminhar, ir ao banheiro e principalmente se alimentar, sem grandes cargas de sofrimento.

Cirurgia

Embora seja utilizada com pouca frequência, a cirurgia pode ser uma opção para os pacientes que possuem mal de Parkinson em grau severo que já não respondem a utilização de medicamentos.

A cirurgia consiste em instalar estimuladores no cérebro para que movimentos possam ser realizados de maneira mais automática, ou então o neurologista pode destruir tecidos cerebrais afetados pela doença, diminuindo assim, os seus sintomas.

É possível também a recomendação de prática de atividades físicas e alterações na alimentação do paciente portador da doença.

Alimentação Inteligente Pode Prevenir O Surgimento Da Doença

Quem acompanha meus artigos, sabe o quanto gosto de utilizar alimentos no lugar de medicamentos, e com o mal de Parkinson a história se repete.

De acordo com estudos, os seguintes nutrientes possuem o poder de prevenir e diminuir o avanço da doença.

Ômega-3

Essa gordura de qualidade é totalmente benéfica ao cérebro. Quando seu consumo é alto, o risco de desenvolvimento de doenças neurológicas é muito menor. Isso ocorre porque o DHA presente no ômega 3 protege as células cerebrais e nervosas contra agentes nocivos.

Vitamina E

A vitamina E é famosa por proteger o cérebro contra uma série de doenças, por isso, neurologistas recomendam sua ingestão frequente desde a infância. Alimentos como azeite e sementes oleaginosas são fontes da vitamina.

Além disso, a grande presença do açúcar na alimentação potencializa as chances de desenvolvimento do mal de Parkinson. Isso devido ao seu potencial inflamatório que facilita erros de metabolismo genético que podem favorecer o surgimento da doença.

Por isso eu sempre digo que praticar uma alimentação inteligente é o segredo para uma vida plena, alegre, tranquila e o melhor de tudo: Saudável.

Eu vou ficando por aqui, me despeço desejando saúde, paz, amor, sorte e felicidade.

Gostou do artigo? Então comente, compartilhe.

Forte abraço e até a próxima.

Posts Relacionados

Comentarios

  1. Sandra Chagas

    Ho, Dr. um artigo tao rico, mas não é “MAL” é Doença de Parkinson.

    • suporte@drrocha.com.br

      Bom dia, Sandra.
      O correto é realmente Doença de Parkinson, mas como lidamos com um público amplo, utilizamos a forma mais popular de se dizer e que todos conhecem.

      Equipe Dr. Rocha.

E ai gostou? Deixe aqui seu comentário