Mal de Parkinson → Saiba Como Evitar ou Tratar Este Mal!

Olá, aqui é o Dr. Rocha.Hoje irei falar sobre uma doença que, infelizmente, é muito comum em pessoas com idade avançada e bastante conhecida devido aos tremores frequentes que os pacientes normalmente apresentam. Estou falando do Mal de Parkinson.

 

O Que É

O mal de Parkinson é uma doença progressiva do sistemasistema neurológico neurológico que afeta de modo principal o cérebro do paciente.

Esse problema de saúde, infelizmente, é um dos principais distúrbios nervosos apresentados na terceira idade.Ele se caracteriza principalmente por prejudicar a coordenação motora, além de provocar uma série de tremores que trazem dificuldades para que o paciente se movimente.

Causas

As células nervosas do organismo utilizam uma substância química presente no cérebro que recebe o nome de dopamina. Essa substância é responsável por controlar todo e qualquer tipo de movimento muscular.

O mal de Parkinson acontece quando as células nervosas do cérebro que produzem a dopamina são destruídas de maneira lenta e progressiva.

Com a ausência dessa dopamina, as células nervosas de determinadas regiões do cérebro deixam de se comunicar de maneira correta. Isso leva a perda da função muscular, algo que infelizmente só piora com o passar do tempo.

A causa exata e correta do desgaste dessas células do cérebro ainda é desconhecida, porém a comunidade médica acredita piamente que uma mistura de dois fatores possa estar envolvida com o surgimento da doença. São eles:

  • Genética;
  • Meio ambiente.

Genética

Neurologistas acreditam que uma série de mutações genéticas altamente específicas está envolvida nas causas dessa doença, porém, esses casos são relativamente raros e acontecem geralmente com membros da família afetados pelo mal de Parkinson.

Meio ambiente

Sabe-se que a exposição a determinadas toxinas, fatores ambientais e até mesmo determinados alimentos tem o poder de potencializar o risco da doença no futuro, porém, ainda não se sabe com exatidão qual é a parcela de culpa do meio ambiente envolvido no surgimento do distúrbio.

Sintomas

Algo muito comum em minhas abordagens sobre doenças é que minhas alunas sempre me questionam sobre os sintomas particulares de cada distúrbio de saúde que apresento por aqui, e dessa vez a história se repetiu.

Felizmente os sintomas da doença são relativamente clássicos, algo que automaticamente aumenta as chances de diagnóstico e consequentemente acelera o processo de tratamento.

Diferente do que muita gente sabe, o mal de Parkinson pode afetar apenas um, ou então ambos os lados do corpo do paciente. Além disso, o grau de perda de funções causada pela doença pode variar dependendo do caso.

Há uma série de sintomas que variam de acordo com o grau de desenvolvimento da doença, a seguir mostrarei quais são eles.

Os sintomas iniciais costumam ser leves no início e incluem:

  • Leves tremores;
  • Lentidão para realização de movimentos simples;
  • Rigidez muscular excessiva.

Conforme o quadro do paciente evolui, os sintomas se tornam um tanto quanto significativos e difíceis de serem ignorados, são eles:

  • Constante inclinação do corpo para frente;
  • Passos mais curtos;
  • Redução dos movimentos dos braços ao andar.

Conforme a doença avança, outros sintomas motores normalmente surgem:

  • Diminuição ou desparecimento de movimentos automáticos, como piscar, por exemplo;
  • Tendência a babar;
  • Dificuldades para engolir os alimentos;
  • Falta de expressão no rosto;
  • Fortes dores musculares;
  • Dificuldade para começar ou então dar continuidade a determinado movimento – como andar ou então se sentar;
  • Perda de movimentos finos, como escrever, ou então trazer o alimento até a boca.
  • Tremores que desparecem durante o movimento;
  • Intestino preço e prisão de ventre;
  • Diminuição do volume vocal, a voz se torna mais baixa e monótona;
  • Ansiedade, estresse e tensão;
  • Confusão mental;
  • Demência;
  • Quadros de depressão;
  • Desmaios;
  • Perda de memória.

Tratamento

Infelizmente não há cura conhecida para o mal de Parkinson. O objetivo principal do tratamento é controlar os sintomas e oferecer o máximo de qualidade de vida para o paciente. Dessa forma, os possíveis tratamentos para a doença são a utilização de medicamentos ou até mesmo a realização de determinada cirurgia.

Medicamentos

Os medicamentos basicamente auxiliam o paciente a continuar a realizar tarefas diárias, como caminhar, ir ao banheiro e principalmente se alimentar, sem grandes cargas de sofrimento.

Cirurgia

Embora seja utilizada com pouca frequência, a cirurgia pode ser uma opção para os pacientes que possuem mal de Parkinson em grau severo que já não respondem a utilização de medicamentos.

A cirurgia consiste em instalar estimuladores no cérebro para que movimentos possam ser realizados de maneira mais automática, ou então o neurologista pode destruir tecidos cerebrais afetados pela doença, diminuindo assim, os seus sintomas.

É possível também a recomendação de prática de atividades físicas e alterações na alimentação do paciente portador da doença.

Alimentação Inteligente Pode Prevenir O Surgimento Da Doença

Quem acompanha meus artigos, sabe o quanto gosto de utilizar alimentos no lugar de medicamentos, e com o mal de Parkinson a história se repete.

De acordo com estudos, os seguintes nutrientes possuem o poder de prevenir e diminuir o avanço da doença.

Ômega-3

Essa gordura de qualidade é totalmente benéfica ao cérebro. Quando seu consumo é alto, o risco de desenvolvimento de doenças neurológicas é muito menor. Isso ocorre porque o DHA presente no ômega 3 protege as células cerebrais e nervosas contra agentes nocivos.

O ômega 3 é essencial para a nossa saúde. Infelizmente, nosso corpo não produz essa substância. Além do consumo dessa substância diretamente nos peixes, existe uma forma segura de suplementar por cápsulas.

Em caso de suplementação com cápsulas prefira produtos de qualidade. Recentemente eu lancei o Ômega Max 3 para suprir a necessidade dos meus alunos e pacientes por um produto confiável. Clique aqui para saber mais.

Vitamina E

A vitamina E é famosa por proteger o cérebro contra uma sérieAzeite de Oliva de doenças, por isso, neurologistas recomendam sua ingestão frequente desde a infância. Alimentos como azeite e sementes oleaginosas são fontes da vitamina.

Além disso, a grande presença do açúcar na alimentação potencializa as chances de desenvolvimento do mal de Parkinson. Isso devido ao seu potencial inflamatório que facilita erros de metabolismo genético que podem favorecer o surgimento da doença.

Por isso eu sempre digo que praticar uma alimentação inteligente é o segredo para uma vida plena, alegre, tranquila e o melhor de tudo: Saudável.

Eu vou ficando por aqui, me despeço desejando saúde, paz, amor, sorte e felicidade.

Gostou do artigo? Então comente, compartilhe.

Forte abraço e até a próxima.

Posts Relacionados

Comentarios

  1. Sandra Chagas

    Ho, Dr. um artigo tao rico, mas não é “MAL” é Doença de Parkinson.

    • suporte@drrocha.com.br

      Bom dia, Sandra.
      O correto é realmente Doença de Parkinson, mas como lidamos com um público amplo, utilizamos a forma mais popular de se dizer e que todos conhecem.

      Equipe Dr. Rocha.

E ai gostou? Deixe aqui seu comentário