Tudo Sobre Diabetes → Sintomas, Causas, Consequências e Como Controlar!

Olá aqui é o Dr. Rocha e hoje iremos falar de um assunto muito delicado: A diabetes.

Sempre que abordo esse assunto com minhas alunas a pergunta que mais ouço é: Dr. Rocha, afinal o que é a diabetes?

Tudo sobre DiabetesEssa doença também chamada por alguns profissionais da saúde de diabetes mellitus, nada mais é do que uma disfunção no metabolismo, ou seja, é uma disfunção na maneira que o organismo utiliza a digestão dos alimentos que ingerimos para a produção de energia.

Vou explicar mais detalhadamente como isto ocorre:

Quando comemos um carboidrato (pense em um pedaço de pão, por exemplo) este é quebrado em pequenos pedaços de glicose, também chamado de açúcar.

Este açúcar é absorvido e fica em nossa corrente sanguínea para entrar em nossas células e ser utilizado como fonte de energia. Porém, para a glicose entrar nas células ela precisa da ajuda de um hormônio, a famosa insulina.

A insulina é produzida no pâncreas. Assim que nos alimentamos o pâncreas produz insulina na quantidade exata para o que estamos ingerindo, fazendo com que nosso organismo capte exatamente a quantidade de glicose exata para produzir energia na dose certa.

Nas pessoas diabéticas o pâncreas não produz insulina ou a produz em pouca quantidade o que dificulta a entrada da glicose nas células.

Há também casos em que o pâncreas produz a insulina de modo suficiente, mas o organismo não consegue fazer com que a glicose entre na célula. Dessa forma, a glicose fica na corrente sanguínea, ocasionando em uma hiperglicemia.

Tipos de Diabetes 

Como muitas pessoas já sabem existem diferentes tipos da doença. Os mais conhecidos e frequentes são:

  • Diabetes tipo 1;
  • Diabetes tipo 2;
  • Diabetes gestacional;
  • Diabetes infantil

Tipos Diabetes 1Diabetes tipo 1

Trata-se de é uma doença autoimune, ou seja, trata-se de uma doença onde o próprio organismo ataca suas células. Nesse caso, o sistema imunológico atua de forma contrária atacando as células do pâncreas prejudicando assim a produção de insulina. As pessoas que possuem o tipo 1 da doença são chamadas de diabéticos insulino-dependentes, pois suas células pancreáticas não funcionam e há necessidade de aplicação diária de insulina para que a glicose entre nas células.


Diabetes tipo 2

A diabetes tipo 2 é a forma mais comum da patologia. Esse tipo da doença afeta cerca de 90% a 95% dos diabéticos de todo o mundo. Essa forma da doença está associada diretamente a estilo de vida, hábitos alimentares, histórico familiar, sedentarismo e principalmente obesidade. Mais de 80% das pessoas que possuem o tipo 2 estão acima do peso ideal.

Nesse tipo da enfermidade o pâncreas produz insulina de maneira correta, porém há uma resistência do organismo à insulina que é causada pelo excesso de gordura corporal – proveniente do aumento do peso e de disfunções metabólicas.

O tipo 2 da patologia pode ser revertido através de atividades físicas e alimentação. Inicialmente não há necessidade de uso de insulina. Porém, se a doença for negligenciada, a produção da insulina pode diminuir ou cessar devido sobrecarga do pâncreas, resultando na necessidade do uso de insulina.

Diabetes gestacional

Como o próprio nome já diz, essa forma da doença ocorre em gestantes e é caracterizado pelo aumento do nível de glicose no sangue que surge durante a gravidez. Esse tipo de problema acomete cerca de 4% das mulheres que ficam grávidas. Esse tipo de doença gestacional pode desparecer após o parto ou, caso não tratada, pode se transformar no tipo 2.


Diabetes infantil

A forma infantil da doença, nada mais é do que o tipo 1, que normalmente é diagnosticado durante a infância, já que as células do pâncreas quando são atacadas pelo sistema imunológico tendem a deixar de funcionar no começo da vida das pessoas que são acometidas pela enfermidade.

Principais Sintomas da Diabetes 

Um questionamento muito comum que recebo por e-mail é o seguinte: Dr. Rocha quais são os principais sintomas da diabetes?

Os principais sintomas diabetes são:

  • Vontade de urinar muitas vezes ao dia;
  • Fome frequente;
  • Sede constante;
  • Fraqueza;
  • Nervosismo;
  • Feridas que não cicatrizam;
  • Vista embaçada;
  • Formigamento nos pés;
  • Infecções frequentes.

Causas da Diabetes

Existem muitos fatores que podem ocasionar no surgimento da doença, porém, dentre os principais podemos citar:

Ataque do Próprio Organismo 

Conforme citamos anteriores, no tipo 1 da doença, as células de defesa do organismo atacam as células do pâncreas produtoras de insulina, culminando assim, no surgimento da doença.

Má Alimentação

Sem dúvida um dos grandes causadores da doença. Principalmente a ingestão de alimentos com alto índice glicêmico que contém grandes doses de farinha e açúcar em sua composição, os famosos carboidratos simples. Quanto mais alto for o índice glicêmico de um alimento mais glicose cairá na corrente sanguínea e mais insulina será necessária para guardar essa glicose dentro das células.

Sedentarismo

O excesso de peso também é uma das principais causas do surgimento da doença. A grande quantidade de gordura corporal dificulta a ação da insulina, fazendo com que pouca glicose entre nas células do nosso organismo e fique circulante na corrente sanguínea causando assim, o surgimento da doença.

A falta de prática de atividade física é um dos principais fatores que ocasionam no ganho excessivo de peso, juntamente com a má alimentação.

O sedentarismo já é considerado pela Organização Mundial da Saúde uma doença.

Complicações da diabetes 

 

As principais complicações que podem acometer os diabéticos são:

Nefropatia Diabética (doenças nos rins)

Por haver grande quantidade de glicose circulando no organismo do diabético, a filtração do sangue é atrapalhada e problemas renais costumam acometer diabéticos descompensados.

Doenças Hepáticas (doença no fígado)

Da mesma maneira que os rins são afetados, o fígado também sofre com a alta presença de glicose na corrente sanguínea, podendo ter sua função diminuída e trabalhar excessivamente tentando normalizar a situação.

Diminuição ou Perda da Visão

Algo muito comum em pacientes diabéticos. As moléculas de glicose são relativamente grandes, e isso afeta diretamente a retina e toda a estrutura ocular, causando diminuição e até mesmo perda da visão.

Amputação de Membros

A grande taxa de glicose sanguínea tende a prejudicar a circulação em extremidades do corpo, principalmente nos dedos e pés dos pacientes. Com a má circulação tecidos como musculatura, tendões e até mesmo ossos podem perder suas funções, resultando em necrose e necessidade de amputação.

Dificuldade de Cicatrização de Feridas e Machucados

A alta taxa de glicose no sangue dificulta que componentes biológicos do organismo responsáveis pela cicatrização ajam sobre feridas e machucados, dificultando que a cicatrização ocorra de maneira correta.

Doenças Cardiovasculares

As doenças cardiovasculares que mais acometem os diabéticos são: infarto, AVC e arteriosclerose. Todas estão diretamente ligadas à disfunção metabólica causada pelo excesso de glicose sanguínea.

Essa disfunção colabora para a formação de trombos e placas que podem entupir veias e artérias culminando problemas que podem ser fatais para o paciente diabético.

Impotência Sexual

Como disse antes, a alta taxa de glicose sanguínea prejudica a circulação do sangue em áreas periféricas. Esta má circulação também afeta os órgãos genitais. Sendo assim, é muito comum que diabéticos apresentem problemas de impotência e disfunção sexual.

Como evitar ou controlar o surgimento da doença?

Evitar ou Controlar a doença

Outra dúvida muito comum é a forma de evitar ou controlar essa doença. Sou muito questionado: Dr. Rocha, como evitar ou controlar a diabetes?

No caso da diabetes tipo 1 não há como evitar, por se tratar de uma doença autoimune, só podemos controlar a doença através da utilização de dosagens de insulina e da alimentação inteligente associada a atividade física.

Já o tipo 2 da doença pode ser facilmente evitado. A principal maneira de se evitar ou controlar o tipo 2 é através de alimentação e atividade física.

Para ambos os casos, é importante manter-se em uma alimentação inteligente, rica em gorduras naturais e saudáveis como ovos, óleo de coco, abacate; proteínas de alto valor biológico como carnes de animais diversos e vegetais como folhas verdes.

É importante priorizar estes alimentos e consumi-los da forma mais natural possível, evitando ao máximo os alimentos industrializados. Estes possuem açúcar escondido, o que pode prejudicar a prevenção e controle da doença.

Além disso, a atividade física é muito importante no combate à diabetes, isso por que durante a atividade física uma enzima chamada AMPK facilita a entrada de glicose em nossas células, diminuindo assim os níveis de glicose sanguínea, fornecendo combustível para nosso organismo e em muitos casos fazendo com que o paciente se livre da doença.

O que quero que você entenda com este artigo é que a diabetes não é uma sentença. Ela tem controle, e está em suas mãos: mude seus hábitos alimentares e pratique atividades físicas!

Preze sempre por escolhas corretas e saudáveis.

Gostou do nosso texto? Curta, compartilhe e comente!

Forte abraço e até a próxima.

 

Posts Relacionados

Comentarios

  1. Janina Fleury

    Me inscrevi mas não usei.E agora?

    • suporte@drrocha.com.br

      Olá, tudo bom! Para saber mais sobre os nossos programas ou atendimento para os alunos do Dr. Rocha, acesse nosso e-mail de atendimento: suporte@drrocha.com.br.
      Aguardamos seu contato!
      Equipe de suporte!

  2. maria dos navegante

    Muito bom

  3. maria dos navegante

    Foi muito bom

  4. Aurelino Menezes de Souza

    Dr. eu fiz o cadastro dividir no cartao porem, apareceu uma mensagem informando que a compra nao foi efetuada
    como saber se comprei ou nao?

    • suporte@drrocha.com.br

      Olá, tudo bom! Para saber mais sobre os nossos programas ou atendimento para os alunos do Dr. Rocha, acesse nosso e-mail de atendimento: suporte@drrocha.com.br.
      Aguardamos seu contato!
      Equipe de suporte!

E ai gostou? Deixe aqui seu comentário